terça-feira, 19 de abril de 2011

O fastígio

O fastígio do amor,
Está no encontro do olhar,
Está no degringolar do corpo
Na cama,em fervor.

No atirar-se desse cume na busca
De novo sabor,
Em passar o tempo, só por passar,
Sem se cansar.

Está em caminhar tranquilo
Na escuridão, por estar pleno
De sol em si, e ter
Feito do medo sentimento ameno.

E, por fim, em não resistir bravamente
A falta de pudor na hora de amar.

Brenda Chaves

6 comentários:

  1. Um belo texto, intenso cheguei até a sentir algo a mais pelo seu texto.

    Se você curte rock and roll

    Dê uma passadinha www.loverocklive.com

    ResponderExcluir
  2. Amor não rima com pudor... literalmente!

    abç
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  3. sem puder, sem tempo, sem cansaço. Amar é a liturgia do corpo em trapos de excitação. É consumir-se em chamas de tesão. É se esfarrapar em contato com outro corpo, agonizando em prazeres polivalentes! Adorei seu texto! Beijão...

    ResponderExcluir
  4. Vc escreve muito bem moça... tb me arrisco em rimas as vezes, + por enqnto fico com meus desenhos nesse blog http://limagege.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. é quando há a queda hormonal e o amor se vai ...

    ResponderExcluir
  6. Worldest comman person and see more about this person....
    open
    click
    veiw

    ResponderExcluir